domingo, 13 de abril de 2014

ATUALIZAÇÕES DO FACEBOOK

Disponibilizamos abaixo o link direto para a nossa página na rede social "Facebook". Lá, sob a direção de Monique Dantas, atualizamos com fotos, videos e notícias as andanças da nossa querida e incansável Estrela Regina Duarte.



Para contactos, dicas e sugestões, nosso e-mail:

Edison Eduarddo

sexta-feira, 26 de julho de 2013

ENTREVISTA PRO "SEM CENSURA" EM JUNHO DE 2013



Na sexta feira, dia 14 de junho, o programa "Sem Censura" apresentado pela jornalista Leda Nagle na TV Brasil, canal 2 do Rio de janeiro, recebeu a presença de nossa Estrela que falou, entre outras coisas, da comemoração de seus 50 anos de carreira e das últimas apresentações da peça "Raimunda, Raimunda" em Teresina - PI. 

O link para o programa completo:

SEÇÃO IMITANDO REGINA DUARTE: SYLVYU DUARTE



Ao amigo Sylvyu Duarte que, como prometi na blogada de 13/junho/2012, mandou sua foto com o livro "Crônicas para uma Rainha" feito com nossas histórias para Regina e a estou postando com zilhões de anos de atraso! Aquele abraço Sylvyu, desculpa aí a demora... Quem tiver fotos com o nosso livrinho é só mandar que vou postar aqui! Forte abraço em todos!!!!!

Edison Eduarddo 

Link para o livro:
 https://agbook.com.br/book/129342--Cronicas_para_uma_Rainha 

VISITEM OS NOVOS LINKS!!!


Pessoal, dei uma atualizada e incluí alguns links na seção "Nossa Lista de Sites e Blogs" aí ao lado na direita. Todos, muito bons! É visita mais que merecida e proveitosa! Com certeza, não vai dar para ver tudo de uma vez e terão que voltar! Valem a pena! São eles:


 Facebook deste Blog e Siga nosso Twitter 
 Por Monique de Andrade 
Totalmente atualizados, reúnem as notícias quentinhas da nossa estrela quase ao mesmo tempo em que saem na Internet! Antenadíssima, nossa querida amiga Monique não deixa escapar nada!


 Regina Duarte (Namoradinha do Brasil) 
 Por Giovanni Ciraci 
As mais belas fotos e trabalhos de nossa estrela em todas as épocas! Tem também os eventos, a família, as fofocas. Imperdível viagem conduzida pelo Giovanni.


 Expo Espelho da Arte - a atriz e seu tempo 
 Por Ivan Izzo 
Informações e notas ligadas à Exposição em homenagem aos 50 anos de carreira de nossa estrela que teve a curadoria do querido Ivan.


 Estrela Regina no Youtube 
 Por Ellen Fernandes 
Além de reunir os links da regina na Internet também junta alguns videos. Belo comando da Ellen.



Aproveitem!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

IMPRESSÕES DE DANIELLE

As últimas impressões da amiga Danielle Carvalho do blog "Filmes, filmes, filmes!" a respeito da peça "Raimunda, Raimunda" e da Exposição "Espelho da Arte"... Regina Duarte na roda!!!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Na trilha das Reginas


Nestas férias de julho, fiz as malas e embarquei de improviso ao Rio de Janeiro para ver em cena Regina Duarte. Na boca, aquele conhecido gosto de timidez da mulher que, mesmo crescida, ainda teima em viver de sonhos.
Regina entrou em minha vida em meados de 2010 pelas mãos de Porcina. Entrou, não: tomou-a de assalto, invadiu-a sem me dar chances de defesa. Se acham que exagero, passem os olhos por algum DVD da caixa de “Roque Santeiro”, lançada recentemente pela Globo, e observem-na em ação. Há ali dentro 60 horas da maior demonstração de respeito pelo espectador. Desfila a multíplice Porcina: hilariamente enternecedora, ridiculamente maravilhosa, malucamente sensata; a provocar o riso aberto da audiência ao mesmo tempo em que bole com suas entranhas, emocionando-a no mais alto grau. 
Após a experiência eu nunca mais fui a mesma. Tanto que saí no encalço da dona de minha musa-mor, com sede de vê-la repetir aquela escandalosa doação de si, agora na pele de outras personagens. Virei garimpadora de preciosidades do passado. Encontrei muitas Reginas, desdobradas em mulheres fortes, frágeis, loucas, enamoradas, leais (sobre algumas eu falei aqui – os leitores frequentes sabem como sou prolixa no que toca aos meus objetos de devoção). E encontrei-me: tornava-me de novo a menina apaixonada por telenovelas que eu um dia fora. Apaixonada e ludibriada: minha saga rumo ao encontro da criadora de ilusões revela com força esse abandono tão infantil quanto deleitante às sombras reais - meu Deus, tão absurdamente reais - criadas pela arte. 

Rio, 19 de julho. No palco do Centro Cultural Banco do Brasil, Regina desdobra-se em duas raimundas díspares: na centenária habitante de um mundo em ruínas que lembra aquele retratado lugubremente em “A última Esperança da Terra” (1971), com Charlton Heston; e na cearense de lábios leporinos conduzida à riqueza e ao desespero por uma sorte mais madrasta que mãe. Com ela no palco, oito rapazes belos e talentosos, todavia, obnubilados pela luz que ela irradia. As duas partes da peça são interessantes, a segunda é hilária, mas mesmo toda a graça não nos impede de ficar comovidos com o modo peculiar como Regina dá voz ao texto escrito. Mulher pequenina que é, ela cresce no palco mais ainda por conta de sua voz que de seu jogo corporal. Há algo no volume de sua voz, em seu timbre e fraseado, que parece torná-la talhada à poesia. E então comemoro em silêncio a agudeza da D. Maria Sylvia, a professora de declamação (agora já uma querida), por ter percebido e ajudado a reverberar a luz que a menina provinciana trazia dentro de si. Quem fala é a insensata Raimundinha cearense, transformada pelas circunstâncias na cosmopolita Raymonde, mas no acento e nos trejeitos de Regina eu só vejo a minha Porcina, e dou graças ao deus do teatro por materializá-la diante de mim.

Vestindo-se de Raimunda para "raimunda, raimunda", de Francisco Pereira da Silva
Mas aí vamos para os bastidores e descobrimos que a melhor parte do espetáculo ainda estava por vir. Regina pessoalmente é tão atenciosa como sua Raquel, tão meiga quanto Ritinha e louca, louquíssima como Porcina. Num texto muito dileto de Regina, Chico de Assis narra o ofício do ator: a identificação com o papel surge tímida a princípio; pouco a pouco, sem que se dê conta, o artista despersonaliza-se na direção daquele outro que com o tempo se torna tão ele. Chegado ao fim o trabalho, resta ao artista a tarefa de se despir deste ser do qual já está tão impregnado e vestir a túnica abandonada de seu “eu”. A árdua tarefa só se realiza completamente quando outra criatura de papel bate às portas do artista, clamando por se fazer carne. E lá vai ele, humildemente, triunfantemente, novamente outro. Que “eu” resiste a abandono tão grande? Não resiste. Cansado de ser posto de lado, aceita um pequenino espaço no ser já repleto. Regina Duarte é Porcina, Ritinha, Raquel, Helena, e uma carreira de outras, para a alegria dos fãs que querem, ao tocá-la, ver presentificado o sonho criado pela tevê. 

No camarim de Regina, na Exposição "Espelho da Arte, a atriz e seu tempo"

Em 21 de agosto, tenho nova chance de vê-la. É o evento de abertura da Exposição em homenagem aos seus 50 anos de carreira, idealizada por Ivan Izzo, seu admirador desde a infância e agora amigo. A dona da festa surge solicitada como nunca, recebendo dos convidados presentes a retribuição de tudo o que ela lhes deu ao longo de meio século de carreira. Depois de um show estonteante de Zizi Possi, que a ajudou a dar voz à sua eterna Helena de “Por Amor”, Regina sobe ao palco e invoca o texto de Chico de Assis, tradução brilhante do fazer artístico. Ela corta a faixa inaugural, perco-a de vista, mas novamente a encontro no recinto da Exposição: espalhada, multiplicada em tantas outras que a transformaram na Regina que ela agora é. 
O passeio pelas salas-cenários, com seus objetos cênicos originais e recriados, dá-me a sensação de viver também as histórias que ela tão bem soube encarnar. Na sala de jantar dos anos 50, a tevê sintoniza a menina cujo sorriso lindo vende pasta de dente. Ao seu lado, escancarado, o quarto da minha musa: turbantes, bijousfrou-frous e vestido de paetês azuis inclusos. Um pouco mais adiante, numa sala dos anos 70, descubro-a par romântico de Antonio Fagundes numa novela censurada de 76. Nos cenários de Regina, vivo pela primeira vez muitas de suas vidas. A onisciência é tão sedutora que desejo repeti-la um dia mais. 
No quarto dela

No dia seguinte, a casa de Regina abre-se ao público. Depois de passar pela sua sala decinema, sou atraída para o teatro. Em cartaz, o maravilhoso monólogo de Segismundo que fecha a segunda jornada de “A Vida é Sonho” (92), peça montada pela atriz quando eu ainda era moleca. E aí, tenho novamente a sensação de que o elemento de Regina é a poesia. “Remonta ‘A Vida é Sonho’, Regina!”, estou a dizer quase em voz alta, quando ouço atrás de mim a voz tão conhecida. Viro-me, e lá está ela. Mas não é ela! É Rosana Reis, Segismundo, ou quem sabe alguém outro, que ainda está em vias de acontecer e palmilha a casa de Regina no Centro Cultural dos Correios para se inspirar. É ao lado dela que eu revejo toda a exposição, agora calmamente, tornando-me ao mesmo tempo protagonista das tantas histórias por ela vividas e público do espetáculo que ela apresenta para mim – para mim e para todos os demais que visitam a exposição e a reconhecem. Vejo-a da distância, não ouso quebrar a quarta parede. Ser seu público já é suficientemente empolgante, ainda mais enquanto ela, atrevida, esgarça os fios que separam ficção e realidade. Regina-Segismundo. Afinal, “que é a vida? Uma ilusão... toda a vida é sonho, e os sonhos, sonhos são.” 
Em "A Vida é Sonho", de Calderón
Fonte: http://www.eternamenteregina.com/2011/11/do-facebook-do-ivan.html

 * 
post acompanha agradecimentos. Começando pelo Edison, companheiro de bordejos aos cinemas e teatros e na preparação de um livro que acabou saindo melhor que a encomenda; à Kelly, que ele me apresentou no outro dia e já virou minha melhor amiga de infância; à Aninha, amiga virtual que se tornou muito real, e à Andreia, amiga por tabela; à Márcia, de quem recebi o convite para a Exposição, e ao Ivan Izzo e à Raquel Duarte, que tornaram o convite possível.

sábado, 7 de julho de 2012

"HISTÓRIA DE AMOR", RESUMÃO DO VIDEO SHOW

O "Novelão da Semana" do "Video Show" resgatou, na semana que passou, uma produção de 1995, escrita por Manoel Carlos. A trama “História de Amor”. Lembrando que, como a globo.com não disponibiliza mais os EMBEB dos videos, pus os links para que possamos vê-los...



A novela foi um sucesso no horário das 18h e conta a história de Helena (Regina Duarte), uma mulher simples e batalhadora, que luta para educar sua filha, Joyce (Carla Marins). Helena foi casada com Assunção (Nuno Leal Maia), um homem machista e controlador.
Em outro núcleo da novela, circulava o famoso endocrinologista Carlos Moretti (José Mayer), que fazia um sucesso daqueles com a mulherada. De casamento marcado com Paula (Carolina Ferraz), uma mulher ciumenta e mimada, Carlos não passava incólume pelo assédio da Sheila (Lília Cabral), uma eterna apaixonada.
Os caminhos de Joyce e Carlos se cruzam no dia do casamento do endocrinologista. A filha de Helena briga com o namorado e ele agride a garota. O médico presencia a cena e acaba levando a Joyce para o hospital por causa de ferimentos pelo corpo. Daí em diante, os dois não deixam de se encontrar mais.

Helena descobre que Joyce está grávida




Sheila faz de tudo para atrapalhar romance de Carlos e Helena, em História de Amor




Paula e Helena armam o maior barraco




Não perca as emoções finais de História de Amor



REVIVENDO CHIQUINHA

Deu no site do Canal Viva e vai rolar nesta segunda-feira às 21h, agende-se, fã!!!

Foto: Em homenagem aos 50 anos de carreira da atriz Regina Duarte, a minissérie "Chiquinha Gonzaga" está de volta na telinha do VIVA. O primeiro capítulo vai ao ar hoje, às 23h15. http://ow.ly/bXGLr

06/07/2012 - 19:50

Reviva: Regina Duarte fala sobre a minissérie 'Chiquinha Gonzaga'

Ela também comenta a importância do trabalho para sua carreira

Em 2012, a namoradinha do Brasil completa 50 anos de carreira e é homenageada no VIVA com a minissérie "Chiquinha Gonzaga", no ar de segunda a sexta às 23h15. Para falar do sucesso da personagem, a atriz é a convidada especial do "Reviva" dedicado ao assunto. O programa vai ao ar na próxima segunda-feira, dia 9, às 21h15.
A compositora Chiquinha Gonzaga misturou tendências musicais da Europa e da África e fez um novo estilo, a Música Popular Brasileira. Para Regina, ela estava à frente do seu tempo e participou ativamente de mudanças do Brasil da época: “Ela fez a música brasileira [...] Ela participou das manifestações, das mudanças musicais e também da vida política de seu tempo. É uma mulher admirável”, comenta.
Em entrevista, a atriz convida o púbico para acompanhar a série. “Não dá para perder. É a história do Brasil, é a nossa história, é a história da mulher brasileira... Quem não viu, vai amar. Quem já viu, eu tenho a certeza de que está entendendo do que eu estou falando”, explica Regina, que interpretou Chiquinha na segunda fase da trama. A primeira parte ficou a cargo de sua filha, Gabriela Duarte.

“Reviva” ainda conta com a participação de Odilon Wagner, responsável pela interpretação do Major José Basileu, o pai de Chiquinha Gonzaga na minissérie dirigida por Jayme Monjardim. O ator exalta a personalidade forte da compositora: “É uma história muito, muito interessante. É fascinante imaginar como essa menina, Chiquinha Gonzaga, teve força para enfrentar esse pai militar”.
Filha do Major e de Rosa Maria Neves de Lima, uma mulata de origem pobre, Chiquinha foi criada de forma tradicional para se tornar uma dama da corte imperial. A menina mostrava, desde cedo, aptidão para música e, mais tarde, se interessou por ritmos negros, como o lundu. Major José Basileu não admitia o comportamento da jovem e os conflitos entre pai e filha eram constantes.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

RAIMUNDA JÁ TAÍ, A ESTREIA É HOJE!


Embuído de um espírito nordestino pra lá de ARRETADO, fui ao CCBB do Rio ontem, no dia da pré estreia de "Raimunda, Raimunda" para convidados, e (não me perguntem como) descolei o tão almejado, mas SUADO, ingresso para o espetáculo. Fiquei muito contente quando lá encontrei os amigos Ivan Izzo e Eduardo Bodstein, sempre muito cordiais, contaram-me um pouquinho da nova exposição que vem por aí (depois de eu arguir muito) e percebi que vai ter um MONTE de surpresas! Fã, prepara o seu coração para ela!!! A exposição está prevista para inaugurar em 22 de agosto no Centro Cultural dos Correios, aqui no Rio, logo ali ao lado do CCBB!!! Vai ser um SUCESSO, com certeza!


Na entrada do teatro, uma cortina de renda, que acredito ser típica do estado do Piauí que, por trás, era onde os atores se maquiavam enquanto o público adentrava à platéia.


O espetáculo é MARAVILHOSO!!! Louco e LINDO! Pelos gestos, trejeitos e encenações, há muitas personagens de Regina ali mas, em nenhum momento, elas aparecem diretamente... Raimunda Pinto é MARCANTE!!! Talvez mais que Porcina, acreditem! E o que é aquela franjinha da Maria do Carmo? Regina transbordante e transparente estava TODA ali... Desnuda, NUA! E se oferecendo para a platéia! Maior DESBUNDE! Sabemos a sua verdade e, no final, ela descobre a nossa!!!! Parabéns, Dona Regina Duarte! A senhora não é a MAIOR só da televisão, é também a do TEATRO!


A estreia oficial é logo mais às 19h! Links para a cobertura da pré estreia:






 - Por TV CARASRegina Duarte nos palcos (3:12)


domingo, 24 de junho de 2012

GABRIELA FALA (MUITO) DA MÃE

Foi na segunda parte da entrevista que Gabriela Duarte concedeu ao programa "Metrópolis" da TV Cultura de São Paulo, exibida em 14 de maio de 2012.



Não precisa ir lá no YOUTUBE procurar a primera parte... Aí está ela, a graciosidade e inteligência da Gabriela nunca é demais!




Regina Duarte se emociona na estreia de Gabriela no palco


DOMINGÃO NO ESTADÃO


Correndo lá pra Tijuca para comprar o meu exemplar num jornaleiro que fica aberto domingo até tarde e vende o ESTADÃO! Maior Alegria!!! Quero agradecer mais uma vez ao amigo Ivan Izzo pela dica... Fotinhos do jornal "O Estado de São Paulo" extraídas lá do Facebook dele!


Link para uma prévia muito boa da matéria de hoje do "Estadão" que saiu no blog do "Jornal da Tarde" ontem:

sábado, 23 de junho de 2012

LINDO O "SEGUND CADERNO" DE HOJE!!!


Acordei um pouco tarde hoje e, como é sábado, abri o jornal descompromissadamente para ver as notícias e também os resultados da Rio +20. Pulei quando cheguei no "Segundo Caderno" do "O Globo"!!! Uma folha inteira com nossa amada "Regina, Regina" e, fechando a matéria, finalmente, notícias da exposição do amigo Ivan Izzo... Estou pondo um link com o site do jornal pois lá, além da matéria, tem um videozinho...




LINDO O "SEGUND CADERNO" DE HOJE!!!


Acordei um pouco tarde hoje e, como é sábado, abri o jornal descompromissadamente para ver as notícias e também os resultados da Rio +20. Pulei quando cheguei no "Segundo Caderno" do "O Globo"!!! Uma folha inteira com nossa amada "Regina, Regina" e, fechando a matéria, finalmente, notícias da exposição do amigo Ivan Izzo... Estou pondo um link com o site do jornal pois lá, além da matéria, tem um videozinho...




quarta-feira, 20 de junho de 2012

VIVA UMA VEZ MAIS "CHIQUINHA GONZAGA"

‘Chiquinha Gonzaga’ reestreia na tela do Viva



Dedicada à obra e vida da compositora carioca, “Chiquinha Gonzaga” estará no ar novamente no Canal Viva a partir de 2 de julho, de segunda a sexta às 23h15. Mãe e filha, Regina e Gabriela Duarte interpretam a personagem principal em fases diferentes de sua história. A trama é dirigida por Jayme Monjardim.
A primeira exibição da minissérie no canal foi um sucesso. Ela foi ao ar entre 2010 e 2011 e atingiu o segundo lugar no ranking de audiência do canal, ficando apenas atrás de “Anos Dourados”. Criada por Lauro César Muniz, a produção retrata a vida de Chiquinha em paralelo ao surgimento da música popular brasileira. A história mostra uma mulher revolucionária que desafiou os costumes da época por suas atitudes e se tornou uma das precursoras da música brasileira.
Além de mostrar a obra de Chiquinha Gonzaga durante os episódios, os maiores sucessos da compositora são interpretados, ao final de cada edição, por artistas convidados pelo diretor. Entre os cantores selecionados para as homenagens estão: Ney Matogrosso, com “Forrobodó”, Cauby Peixoto com a canção “Maria”, Milton Nascimento com “Namorados da Lua” e ainda Angela Maria, Marlene e Emilinha, que interpretam “Ó Abre Alas”, primeira marchinha de carnaval lançada por Chiquinha em 1899.
O elenco conta ainda com Marcelo Novaes, Carlos Alberto Riccelli, Danielle Winits, Norton Nascimento, Flavio Migliaccio, Suzana Vieira, Paulo Betti, Caio Blat e Milton Gonçalves, entre outros.



Pegando esse gancho da Chiquinha, vamos ver o que disse o autor, que adaptou a minissérie para a televisão, no livro da Coleção APLAUSO - nunca demais lembrar, inteiramente disponível on line para leitura em http://aplauso.imprensaoficial.com.br/ - "Lauro César Muniz - Solta o Verbo" por Hersch W. Basbaum...





VIVA UMA VEZ MAIS "CHIQUINHA GONZAGA"

‘Chiquinha Gonzaga’ reestreia na tela do Viva



Dedicada à obra e vida da compositora carioca, “Chiquinha Gonzaga” estará no ar novamente no Canal Viva a partir de 2 de julho, de segunda a sexta às 23h15. Mãe e filha, Regina e Gabriela Duarte interpretam a personagem principal em fases diferentes de sua história. A trama é dirigida por Jayme Monjardim.
A primeira exibição da minissérie no canal foi um sucesso. Ela foi ao ar entre 2010 e 2011 e atingiu o segundo lugar no ranking de audiência do canal, ficando apenas atrás de “Anos Dourados”. Criada por Lauro César Muniz, a produção retrata a vida de Chiquinha em paralelo ao surgimento da música popular brasileira. A história mostra uma mulher revolucionária que desafiou os costumes da época por suas atitudes e se tornou uma das precursoras da música brasileira.
Além de mostrar a obra de Chiquinha Gonzaga durante os episódios, os maiores sucessos da compositora são interpretados, ao final de cada edição, por artistas convidados pelo diretor. Entre os cantores selecionados para as homenagens estão: Ney Matogrosso, com “Forrobodó”, Cauby Peixoto com a canção “Maria”, Milton Nascimento com “Namorados da Lua” e ainda Angela Maria, Marlene e Emilinha, que interpretam “Ó Abre Alas”, primeira marchinha de carnaval lançada por Chiquinha em 1899.
O elenco conta ainda com Marcelo Novaes, Carlos Alberto Riccelli, Danielle Winits, Norton Nascimento, Flavio Migliaccio, Suzana Vieira, Paulo Betti, Caio Blat e Milton Gonçalves, entre outros.



Pegando esse gancho da Chiquinha, vamos ver o que disse o autor, que adaptou a minissérie para a televisão, no livro da Coleção APLAUSO - nunca demais lembrar, inteiramente disponível on line para leitura em http://aplauso.imprensaoficial.com.br/ - "Lauro César Muniz - Solta o Verbo" por Hersch W. Basbaum...





Responda nossa enquete OVERDOSE DE REGINA (até às 23:30h do dia 12 de julho de 2011): Pretende emendar a reprise de "Vale Tudo" e "Roque Santeiro" (Canal Viva) no final de cada capítulo de "O Astro" (Rede Globo)?